Países do G7 falham em 100% das metas de mudança climática para 2030, diz relatório

Por:
em Apr 25, 2024
Listen
  • O progresso dos países na redução das emissões de carbono estará no centro das atenções neste fim de semana, numa conferência do G7.
  • Mas um novo relatório divulgado esta semana traz algumas notícias não tão positivas sobre isso.
  • De acordo com a Climate Analytics, todos os países do G7 estão atrasados nos seus objetivos para 2030.

Siga o Invezz no TelegramTwitter e Google Notícias para notícias de última hora >

Um novo relatório preocupante, divulgado antes da conferência do G7 desta semana, sugere que todos os países do G7 deverão ficar muito aquém do limite de 1,5°C do Acordo de Paris.

Você está procurando sinais e alertas de traders profissionais? Registre-se no Invezz Signals™ GRATUITAMENTE. Leva 2 minutos.

No dia 23 de abril, uma nova publicação do instituto de política global Climate Analytics descreveu uma “atualização de 2024” sobre o desempenho dos governos do G7 em relação às metas acordadas para o ano de 2030.

Source: Climate Analytics

Taxa de falha de 100%

Copy link to section

Com a década quase a meio, a Climate Analytics afirmou que nenhuma das nações – incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Japão, Alemanha, França e Itália – estava a fazer progressos suficientes.

Nenhum dos membros do G7 está no bom caminho para cumprir as suas atuais metas de redução de emissões para 2030, que ainda não estão coletivamente alinhadas com 1,5°C. De acordo com as políticas actuais, o G7 deverá reduzir as emissões em 19-33% até 2030, em comparação com os níveis de 2019. Isso é, na melhor das hipóteses, cerca de metade do que é necessário.”

As consequências do fracasso

Copy link to section

O relatório também forneceu alguns números preocupantes sobre o que poderia acontecer no caso cada vez mais provável de as nações do G7 – alguns dos maiores produtores de emissões do planeta – não conseguirem cumprir as metas para 2030:

Alcançar cortes mais acentuados nas emissões até 2030 é fundamental para avançar no sentido da meta do G7 de zero emissões líquidas de gases com efeito de estufa (GEE) até 2050, o mais tardar. Isto porque as reduções acentuadas de GEE após 2030 não seriam capazes de compensar a enorme quantidade de gases com efeito de estufa emitidos nesta década se não ocorrerem reduções profundas e sustentadas antes de 2030.”

Reduzindo a poluição em 75%

Copy link to section

Além do mais, a fasquia está prestes a subir ainda mais para os países do G7. O mesmo relatório observou que até ao próximo ano, 20235, os países precisariam de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em impressionantes 75%, em comparação com os níveis de 2019, apenas para se manterem dentro da meta.

As nações do G7 se reunirão em Turim, Itália, a partir de domingo desta semana, para a segunda Conferência das Partes Interessadas da Indústria do G7 2024.

Este artigo foi traduzido do inglês com a ajuda de ferramentas de IA, tendo sido depois revisto e editado por um tradutor local.

EUA EUR